Limitação da Internet Fixa: Porque não devemos aceitar!

O assunto de limitação da internet voltou a ser pauta de comentários nas mídias sociais. A ANATEL agora mudou seu posicionamento e se mostra a favor da limitação, o que novamente agita a disputa entre os consumidores e as empresas. A ANATEL como já foi ventilado nos noticiários, mal tem condições de se manter funcionando e teoricamente seria presa fácil das gigantes de telecom.

Já falamos na ocasião dos malefícios de se contar com uma banda larga fixa com um modelo de negócios igual ao praticado na internet móvel. O principal deles é que uma franquia de celular atende aquele dispositivo associado a ela. A banda larga fixa atende a todos os dispositivos da casa, deste modo, essa conta nunca vai fechar corretamente.

 Serviços de streaming de vídeo (Netflix, YouTube, etc) e de áudio (Spotify, Apple Music, rádios online, etc) seriam seriamente prejudicados, bem como serviços de VoIP (Skype).

Por mais que as operadoras aleguem que seja melhor para todos, naturalmente seria melhor só para elas, uma vez que além de limitar o serviço, o que sai mais barato do que o investimento em aumento de infraestrutura, que por sinal é alegação que justifica a restrição: infraestrutura saturada!

Tem ou outro detalhe, desde que os serviços de streaming de vídeo como Netflix chegou ao mercado, à audiência das TVs por assinatura diminuiu, o que causa prejuízo e diminuição de anunciantes para estas.  E quem é o dono das TVs por assinatura? As mesmas empresas donas dos provedores de internet!

Outro aspecto é o uso da internet para conversação, porque você vai fazer uma ligação de celular ou telefone fixo, se você pode recorrer ao Skype e outros comunicadores instantâneos como WhatsApp?

Pode soar conspiratório, mas é apenas lógico. Você não perderia os clientes, só diminuiria o que se entrega a eles cobrando o mesmo (ou mais pelo mesmo!), em contrapartida, trás de volta de forma forçada estes clientes para outros produtos seus, como TV a cabo, telefonia fixa e celular. São todos produtos diferentes, mas todos dos mesmos donos!

A alegação de que em outros países é assim é ridícula! Porque se o modelo de negócios tem de ser espelhados em outros países, queremos que os preços, a qualidade de serviço, o respeito ao consumidor e acima de tudo, o produto seja o mesmo que o entregue aos clientes de outros países!

Se você não concorda com a limitação, comente em suas redes sociais, assine as petições online disponíveis. Não vamos deixar mais uma vez que nos forcem a aceitar medidas que vão de encontro ao beneficio do consumidor.

Abaixo, seguem alguns links de petições online contra a mudança na internet fixa.

http://internetlivre.cc/peticao-contra-a-franquia-de-internet
http://www.proteste.org.br/contraobloqueiodainternet
http://www.cbsi.net.br/2016/04/peticao-online-e-contra-o-limite-de-internet-no-brasil.html
http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BandaLargaReduzida
Este texto foi útil? Compartilhe!
Diogo Garcia

Diogo Garcia

IT Infrastructure Analyst |Atuando a mais de 18 anos no segmento de Tecnologia da Informação.