A famosa “Formatação” e como ela prejudica você.

Bom, todos já conhecem o popular jargão praticado por ai por aqueles que vivem (ou não!) da informática. Seu PC ou notebook apresentou algum problema, BOOM! Vamos formatar! Você que é apenas um usuário, já se perguntou por que se formata tanto os computadores? Pois eu me pergunto diariamente.  Quantas vezes em um ano você teve de formatar seu equipamento por orientação ou por opção própria? Suponho que muitas, uma vez que tal prática já virou rotina e sinônimo de resolução de problemas dos computadores.

O termo “formatar” se refere ao processo formatar o disco e reinstalar o sistema operacional. Atualmente, cortou-se um passo deste método, uma vez que a instalação dos sistemas operacionais modernos já formata o disco no processo de instalação. Por que os ditos técnicos optam pela famigerada formatação? Simples: porque é mais fácil e requer quase nenhum conhecimento da estrutura do sistema operacional.  O cliente aciona um técnico ou leva o equipamento em uma loja, informa os sintomas e do outro lado do balcão, a resposta é seca: “vamos formatar que vai ficar como novo!”. É verdade, não posso negar, mas é o correto?

Quantos de vocês já perderam informações importantes ou mesmo dias para se readaptar a seu próprio equipamento, após o mesmo voltar de um reparo? Pois é, escuto muito isso…

É extremamente raro, um profissional de informática hoje em dia realizar um procedimento forense, a fim de investigar a causa do problema. O feedback ao cliente é sempre o mesmo: foi vírus! E sempre é aceito, afinal, a grande maioria das pessoas usam o computador como um eletrodoméstico qualquer, e só querem que ele funcione como o esperado quando precisam dele.

É muito importante se descobrir o que causou a falha no sistema operacional. Se é uma falha no hardware, se é efetivamente um aplicativo malicioso ou mesmo se é fruto de manuseio inadequado por parte do usuário. Mas ai entra a outra parte do circulo vicioso da formatação, se não se sabe a causa, não se da solução, deste modo, em algum tempo o cliente esta de volta, com a mesma sintomática e o diagnostico é o mesmo: vírus! Percebem onde quero chegar?

Vamos analisar brevemente, sem bla bla bla técnico os três grupos de problemas e entender porque a formatação não é a solução para os mesmos:

Falha de hardware: seu computador e formado por um grupo de componentes que permitem ao mesmo funcionar. Se algum deles não estiver funcionando bem, mesmo que ocasionalmente ele pode afetar os demais e o computador deixa de funcionar como o esperado, levando a falhas e erros constantes.

Aplicativos maliciosos (vírus): A internet é um universo quase infinito de informação, opções de lazer, enfim, mente quem não passa pelo menos algum tempo do seu dia navegando. Infelizmente como no nosso cotidiano, existem pessoas que querem se aproveitar das outras, e na internet isso se dá através dos aplicativos maliciosos, que são usados para roubar informações pessoais ou mesmo usar seu computador para fins ilegais. Estes aplicativos ou programas funcionam de forma oculta, roubando recursos da maquina e deteriorando seu desempenho. Causando aquela lentidão irritante e travamentos.

Manuseio indevido: Esta diretamente relacionado ao item “aplicativos maliciosos”, uma vez que o manuseio indevido, leva inevitavelmente a instalação deste tipo de programa no sistema. As pessoas tem a errada percepção que o antivírus resolve todos os problemas, o que na verdade e outro mito vendido por profissionais de informática. Deste modo, elas acessam qualquer website, instalam qualquer programa que acham interessante ou mesmo que ouviram dizer que é muito bom pois contam com o antivírus instalado no sistema para protegê-las.

Mais uma vez, como na vida real, quando a oferta é boa demais, desconfie. Os famosos “cracks” são algum dos maiores propagadores de vírus. Tenha cuidado ao se valer dos mesmos.

Voltando ao tema, perceba que pelo que foi dito nesses três grupos de problemas, a formatação não resolve nenhum deles, apenas posterga as consequências. É papel do verdadeiro profissional de informática ao notar que o problema esta relacionado ao manuseio, orientar o cliente de modo que o mesmo não que fique exposto a essas falhas e ameaças relacionadas a elas.

Mas, ai entra o que parece ser o senso comum no meio e que infelizmente degrada o oficio, o dito profissional “se”, percebam as aspas, notou o problema, prefere se omitir, sabendo que isso trará o cliente de volta e garantido assim o circulo vicioso da formatação. Eu prefiro acreditar que simplesmente eles não sabem ou sequer querem saber, apenas adotaram a formatação como praxe e assim criando uma demanda de serviço.

Sobre a formatação em si, ela é indicada como solução no caso de troca as placa mãe do equipamento, uma vez que esta serve de base para o sistema operacional. Em caso de dano na estrutura lógica do HD (disco rígido) ou mesmo em uma falha catastrófica do sistema operacional, comum em processos de atualização automáticas. Mesmo assim, nesta ultima, há meios de salvar o sistema sem a necessidade da formatação.

Em alguns casos, sistemas operacionais em funcionamento por muitos anos, eu disse ANOS, ficam com seu registro tão poluído, que formatar é mais eficiente do que restaurar o mesmo. Fora isso, fique atento ao circulo vicioso da formatação e na próxima vez que levar seu equipamento a um profissional de informática, faça mais perguntas, não aceite apenas a resposta: vírus. Se isso lhe for dito, pergunte de que forma o “tal” vírus danificou o sistema. Além de descobrir mais sobre o problema, talvez você descubra mais sobre o profissional em si.

Este texto foi útil? Compartilhe!
Diogo Garcia

Diogo Garcia

IT Infrastructure Analyst |Atuando a mais de 18 anos no segmento de Tecnologia da Informação.